segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Folhadinhos de maçã com queijo Chevre e noz

Estes folhadinhos já me andavam a aguçar o apetite e a curiosidade há algum tempo, aproveitei agora que tinha muito queijo vindo directamente de França e umas nozes para experimentar da Nutvitae.

Para entrada ou só petisco são super fáceis  e rápidos.

Resulta uma combinação algo exótica, só mesmo para apreciadores de sabores fortes, onde o contraste entre o doce e o salgado é muito evidente.


1 placa rectangular de massa folhada fresca
1 queijo chevre
1 maçã usei vermelha, mas reineta será mais indicada.
Nozes a gosto
Mel a gosto.
1 gema

Esticar a placa de massa folhada sobre o papel e cortar em 6 quadrados iguais, eu cortei uns maiores e outros menores com medo que não desse para dobrar, mas dá muito bem.

Retirar o caroço à maçã e cortar em rodelas com casca e tudo.

Cortar o queijo em rodelas.


Montar o folhado, colocando em cima de cada quadrado uma rodela de maçã e em cima desta uma rodela de queijo, terminar com uma metade de noz e cobrir com mel a gosto.



Dobrar os cantos da massa folhada para cima e pincelar com gema de ovo diluída com umas gotas de leite.


Levar ao forno pré aquecido a 200º durante 10 min e depois baixar um pouco e deixar mais 10 minutos, até ficar lourinho por cima, verificar se está cozido.

A maçã meio cozida, o queijo derretido, o sabor do mel forte e doce com o crocante da noz, fica um contraste muito forte, eu gostei bastante.

Quem já fez like na minha página de facebook :) 

domingo, 15 de outubro de 2017

Orelha de porco de vinagrete ou salada de orelha

Ora aqui está uma coisa que não aprecio, comer e principalmente fazer!!!!

Eu por norma gosto de tudo e este prato se não houver mais nada também petisco, mas não morro de amores, mas os meus meninos adoram e resolvi fazer para as entradas na festa de aniversário do pequeno.


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Marmelada branca, mas não é de Odivelas

Mais uma dose de marmelada, todos os anos faço, porque é o único doce que o meu menino gosta e para variar no pão que lhe envio para a escola faço sempre e de vez em quando lá vai no lanchinho.

Os marmelos sempre 100% biológicos, muitos furinhos e alguns bichinhos também.


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Polpa de tomate Cherry mini

Pode parecer estranho, ninguém faz tomatada de tomate Cherry e ainda por cima mini....
Pois podem começar a fazer, porque fica muito mais saborosa e espessa do que dos tomates normais.

Dá um trabalhão, pois também dá.... apanhar tomates suficientes demora e depois retirar o pé a todos é outro trabalhão, mas quando se faz por gosto nada cansa.

Eu fiz porque não tive este ano tomates grandes para fazer e como um amigo tem uma mega plantação destes, fomos lá apanhar e entre todos apanhámos uma quantidade enorme.

O método, é o que já costumo fazer habitualmente, metade no robot de cozinha e metade no fogão e porquê a mistura dos dois, porque consigo fazer uma grande quantidade em menos tempo.


domingo, 8 de outubro de 2017

Bilbao e Museu Guggenheim


O Museu Guggenheim em Bilbao já estava na minha lista para visitar há muito tempo.
Pelo edifício mesmo, a sua arquitectura, edifício é um colosso, uma verdadeira maravilha e então visto ao vivo ainda impressiona mais.

As suas formas arredondadas e inclinadas desafiam a gravidade, a estrutura metalizada com relevos que lembram escamas de peixe, muito bonito....

Este museu é um dos 5 museus pertencentes à fundação Solomon R. Guggenheim no mundo e o  senhor Frank Gehry arquitecto Canadiano estava inspirado quando o idealizou.
Estes museus são todos projectados por grandes arquitectos e criticados porque os edifícios são mais imponentes e importantes do que propriamente a colecção que albergam.

Neste de Bilbao, pude constatar isso mesmo ainda que tem colecções e peças bastante interessantes e eu gostei de visitar o interior, mas reconheço que o edifício por si tira todo o protagonismo às exposições presentes.


sábado, 7 de outubro de 2017

Moqueca de camarão à portuguesa

Esta Moqueca é à portuguesa porque não leva Azeite de Dendê, imagino que é isso que faz a diferença e lhe dá o nome, mas como não tinha, fiz na mesma e ficou muito bom.
Fui buscar a receita ao site da Vaqueiro e como todas as receitas da vaqueiro, também esta resultou muito bem.


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Lenda Viriato, restaurante temático em Unhais da Serra

Lenda Viriato foi o restaurante que escolhi para comemorar em família o meu aniversário e porque 50 anos é meio século, tinha que ser passado num lugar especial.


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Nutvitae frutos secos

Hoje venho dar a conhecer uma empresa 100% portuguesa, especializada na venda on-line de frutos secos e sementes, parceira do meu blog a NutVitae.

É uma parceria que faz muito sentido para mim, porque desde há muitos anos que os frutos secos fazem parte da alimentação regular cá de casa, não por modas, mas porque para além de gostarmos mesmo já tive uma situação em que foi mesmo recomendado por questões de saúde no caso especifico para um problema de pele.


domingo, 1 de outubro de 2017

Cheesecake com base de Brownie

Há algum tempo atrás a Gina do Nacozinha em conversa perguntou-me se eu nunca tinha feito nada do blog dela, fiquei a pensar naquilo e não me lembro, se fiz não encontrei no blog, por isso e em jeito de comemoração dos 10 anos do blog, resolvi ir lá buscar alguma ideia.
Para o aniversário do filho pensei fazer um cheesecake dela, porque ele adora cheesecake, mas os que por lá encontrei são cozidos e ele não aprecia tanto, mas fui parar à página dos brownies, porque ela tem lá um browniecheesecake tudo em um, (fica para uma próxima vez) e resolvi então fazer um cheesecake, mas com base de Brownie, já tinha visto algures isso e achei boa ideia.


terça-feira, 26 de setembro de 2017

Arroz integral com tomate e ervilhas

Estou fã de arroz integral, nunca tinha comprado e nem provado, não era coisa que me despertasse a atenção, mas desde que provei aprovei.
A sua textura depois de cozinhado nada tem a ver com arroz normal,  mais encorpado, parece duro, mas não é, não é aquele arroz que se desfaz na boca e nem aquele arroz que temos a sensação de mal cozido é bem diferente do outro até no sabor.

O aspecto também é diferente, se em cru ele é escuro, com umas casquinhas à mistura, depois de cozinhado fica mais clarinho e o grão mais pequenino.


domingo, 24 de setembro de 2017

Bolo de água, azul do porto.....

Este bolo já vem com algum atraso, como tudo aqui no blog ultimamente, mas ainda a tempo :)

Aniversário, medalha de prata na canoagem, e ainda bolo azul do porto e do Clube de canoagem.....muita emoção para um dia só para o meu Migelito.


O meu gulosinho, para o seu aniversário quer sempre  a pasta de açúcar no bolo, fui eu que introduzi a ideia, há uns anos atrás, ele agarrou-a e agora não há quem lhe faça mudar de ideia, não é coisa que eu aprecie e nem ninguém cá de casa, entenda-se os convidados habituais, mas como ele adora e o bolo é dele eu faço-lhe a vontade e pior ainda, por muito que me custe (não me custa nada :)) faço-lhe o bolo sempre azul do porto!!!! coisa que também não aprecio muito, nem o porto e nem futebol.... mas o que uma mão não faz pelo seu filhinho.....

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

10 anos é muito tempoooo

E já passaram 10 anos desde que iniciei este blog.

10 anos de pura diversão, boa disposição, comidinhas boas, viagens e outras coisas que eu gosto, amizades criadas e um grande enriquecimento pessoal, quer ao nível da gastronomia, quer a outros níveis.



sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Beringela recheada com atum

Quem gosta de beringela recheada?

Eu já tinha feito com carne picada e não apreciei muito, penso que nem deixei aqui a receita, esta com atum foi a minha mãe que descobriu a receita, experimentou e como gostaram tanto lá em casa, resolvi fazer para experimentar.

Fica muito bom, muito melhor do que qualquer expectativa.


sábado, 2 de setembro de 2017

Doce de courgette aromatizado com limão e canela

Fim de férias, a escola à porta, época de retomar as actividades rotineiras.

Fazer doces não é rotina, mas um prazer para mim, adoro fazer doces, tenho pena de ninguém comer muito cá em casa, por isso faço poucos.
Doce de courgette nunca tinha feito, mas já há algum tempo que andava com vontade de experimentar.
Este ano como tivemos uma grande produção, na nossa quinta e ainda me ofereceram algumas e já congelei para a sopinha do ano inteiro, resolvi fazer um pouco de doce.

Mas..... com pouco açúcar como manda a tradição cá em casa


2 kg de courgette
700 Gr de açúcar
Casca de 1 limão
2 paus de canela

Descascar as courgettes e estas como eram já grandes demais, retirei toda a polpa e sementes.
Partir em cubinhos e meter no tacho, por cima colocar o açúcar, a casca do limão e os paus de canela e deixar macerar por 15 ou 20 minutos, para o açúcar derreter.

Levar ao lume brando até atingir ponto (quando se deixa cair doce da colher forma uma bolinha leve).

No robot de cozinha, pulverizar primeiro a casca do limão 10seg vel.5
meter os cubos da courgette no copo, junto com o açúcar e o pau de canela e programar 30min. 100º vel.2 quando atingir a temperatura, substituir o copo medida pelo cesto, e no final do tempo verificar a consistência do doce, se estiver muito liquida, por mais 10min. 120ºvel2 a gosto.


Meter em frascos com tampa de metal, com o doce ainda a ferver e apertar bem a tampa, não precisa inverter os frascos porque o doce conserva-se na perfeição, ao arrefecer forma-se vácuo e não havendo ar não há "bichos", é assim que conservo os meus e aguentam-se anos se for preciso....

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Água aromatizada

Para quem não gosta muito de beber água, assim aromatizada e sempre uma boa ideia.

Fáceis de fazer, depois é só guardar em recipiente garrafa ou jarra no frigorífico, porque não se conservam muito, os frutos oxidam e fica com um sabor estranho, mas no frigorífico conseguimos guardar algumas horas.


Podíamos comprar umas que agora se vulgarizaram, muitas marcas têm.... mas não era a mesma coisa.


Eu cá em casa costumo fazer com frutos vermelhos que tenho sempre no congelados, 1 colher de sopa é suficiente para 1 a 2 litros, com umas gotas de limão e umas folhas de hortelã, fica deliciosa e sem açúcar ou com uma pitada de açúcar mascavado, mas o normal é mesmo sem.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Navegando por águas calmas, entre o Guadiana e a paisagem alentejana

E porque a época é de férias, quem ainda vai a tempo de fazer este passeio :)

Um Cruzeiro no Guadiana que fiz no ano passado, mas na altura não tive oportunidade de deixar aqui a experiência, mas vai sempre a tempo.
Pois para quem pensa que só o Douro tem cruzeiros de rio no nosso país, está enganado, no Guadina também se fazem uns passeios muito interessantes e divertidos.


Eu fui pela empresa Riosultravel e gostei muito, uma equipa de animação espectacular, os mesmo fazem tudo, são marinheiros, guias turísticos, cozinheiros e até músicos e cantores, uma animação :)

sábado, 5 de agosto de 2017

Arroz pacífico

Há uns anos atrás havia um restaurante na zona de Coimbra, onde íamos de vez em quando comer especificamente um prato que se chamava Oceano pacifico.

Era um prato de peixe para duas pessoas, em que vinham para a mesa várias postas de peixe e uma espetada de lulas e camarão a grelhar na pedra e para acompanhar um arroz que nem precisava da pedra dos peixes, era simplesmente delicioso e era feito com mariscos pequenos, pimentos e cogumelos, uma mistura improvável, mas que resultava deliciosa, era aquele prato que nem a pedra precisava do arroz e nem vice versa, nós gostávamos, mas nos tempos de crise o restaurante fechou.

Um dia daqueles em que chegamos a casa tarde e não há nada descongelado e temos que improvisar, lembrei-me deste arroz,  e saiu em menos de meia hora, à minha maneira, mas com base na memória.



Arroz carolino Bom sucesso
Mexilhão e camarão congelados e descascado
Camarão cozido com casca
Cebola
Alho
Tomate bem maduro
Cogumelos frescos
Pimento (eu não tinha)
Coentros frescos
Azeite e sal q.b.

Primeiro ou enquanto o refogado se faz, cozer os camarões e reservar a água.

Fazer o refogado da cebola, alho, tomate, azeite e o sal como para qualquer outro arroz (triturar se não gostar de encontrar os pedacinhos) 

Juntar os mariscos sem casca e os cogumelos fatiados, deixar um pouco e juntar a água de cozer os camarões, quando ferver juntar o arroz, marcar 12 minutos e um pouco antes do fim colocar por cima os camarões com casca, para ganharem um pouco do sabor.
retirar do fogão e polvilhar aqui com os coentros picados.

No robot de cozinha para maior comodidade por vezes faço apenas o refogado e em 5 min. vel 1 120º e neste caso meto os mariscos e os cogumelos no cesto e cozem a vapor e está feito, no fim uns toques de turbo e já está, transfiro para um tacho normal e é só juntar a água e o arroz e deixar cozer.


Um prato super simples, rápido mesmo para aqueles dias em que não há tempo para nada :)

sábado, 29 de julho de 2017

Bolo de gomas

Este bolo de gomas fiz já há algum tempo para uma festa de aniversário do meu filho, resolvi postar agora, porque há sempre muitas pessoas a perguntar-me como se faz, este foi mais um que fiz, mas não cheguei a meter na altura, porque já tinha outro no blog e são muito parecidos.

A maneira como eu fiz é simples e podemos fazer do tamanho que quisermos e do formato que quisermos, faz sempre as delicias dos pequenos, que normalmente adoram gomas, é o que comem primeiro nas festas e assim em bolo desperta mais interesse ainda do que as gomas nos pacotes ou em taças.
Os que eu fiz foram sempre um sucesso, a garotada entrava em delírio :) e é sempre bom vê-los assim animados.


Eu monto o bolo desejado com esferovite forrada de papel de alumínio e depois é só cobrir com as gomas a gosto das cores e sabores preferidos, podem-se segurar com palitos e há a vender uns de plástico muito giros, mas nem precisa fixar com nada, porque eles pegam ao alumínio.


Esta semana encontrei no Pingo doce uns bolos feitos por eles também muito engraçados e em que o esquema é diferente, a base não tem nada de suporte, apenas marshmallow`s de pé encostados a formar o bolo e seguros com uma fita em volta, por cima as gomas diferentes dispostas a gosto e já está, mais simples ainda.

Comprei um para o meu filho levar para o almoço partilhado na semana que passou num campo de férias e ele pediu tanto que acabei por comprar, porque se comprasse as gomas para ser eu a fazer não ficaria muito mais barato, e este já vinha embalado em papel celofane para ir melhor acondicionado....


Uma maneira diferente e divertida de apresentar as gomas numa festa 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Panquecas.... só que não

Vejo por vezes receitas por aí nos blogs que fico com a sensação de que as pessoas nem as testaram sequer, fotografaram uma coisa qualquer e toca a postar para encher, não sei se para terem muitas publicações e "clikes".....

Estas panquecas foi uma dessas, quando li a receita achei logo estranho liquido demais para tão pouco sólido.... mas vamos lá experimentar o blog tem 61000 e tal seguidores, devem ser mesmo boas....

e a receita ainda tem a recomendação de que é proibido copiar.....


Então com 2 ovos (Ah! e eu só meti um), uma banana e uma colher de sopa de farinha de amêndoa.
Tudo no robot de cozinha e vel.5 até ficar uma massa bem homogénea e sai uma massa completamente liquida e para panquecas, achei um pouco estranho até porque a massa estatelou-se na frigideira e antes que conseguisse virá-las já estavam meio queimadas,demasiado moles para conseguir virá-las.... depois da primeira, ainda lhe juntei uma colher de sopa de polvilho doce e ficou ligeiramente menos liquida, mas o resultado foram umas mini panquecas moles todas tortas e completamente húmidas e grudentas, nada fofas como as que apareciam na fotografia

mas ok.... 
são dietéticas, sem açúcar e sem gluten, e só para mim porque o papa panquecas minor cheirou e não quis, muito menos polvilhadas com canela, como mandava a receitinha, o quadrado de chocolate no meio não lhe meti, porque achei desperdício demais.

Deixo umas fotografias das que se conseguiram salvar com aparência passível de aparecer ao público.




terça-feira, 25 de julho de 2017

Onde comer em Cracóvia, pequenas sugestões

Eu sei que já passou algum tempo desde a minha viagem a Cracóvia, mas faltou fazer esta parte que também é importante e como se trata de comidinhas e tem a ver com a outra parte do blog deixei para o fim.

A cidade tem muitos restaurantes, explanadas lindas, uma tentação para os olhos para quem como nós gosta de experimentar a comida típica dos sítios por onde andamos, não somos adeptos de fast food nem cá em portugal, não vamos ser fora.




Provar a gastronomia local e pratos típicos, nesta cidade é fácil, porque os restaurantes na sua maioria pelo aspecto parecem caros, mas nem se paga nada de especial, comparando com Portugal, eu diria que se paga pela qualidade bem menos.

Os restaurantes em Cracóvia, são na maioria charmosos, com decorações típicas e de bom gosto.



Os pratos não são caros e a quantidade é razoável. As entradas são na maioria grátis, os empregados fazem questão de referir isso logo que trazem aquilo que não pedimos.



Nós quando fomos levamos na manga uma lista de restaurantes e bares recomendados por amigos, só que efectivamente fomos a poucos dos que levávamos na lista, por questões de logística, ou estávamos longe ou já não nos apetecia procurar mais e acabávamos por entrar mesmo no primeiro que encontrávamos porque chegámos á conclusão que em todos se comia bem.



Adorámos a comida, muito variada, original, muito bem apresentada, alguns pratos ao melhor nível da cozinha de autor que se vê por cá, para além disso saborosa e para mim que gosto de provar tudo, foi difícil a escolha, saladas variadas e pães recheados, seja com sopa ou carnes, muitas verduras e até sopa, muitos cogumelos selvagens, coisas que nunca tinha comido, bulgur, ruibarbo e adoro quando algum prato me surpreende pelo sabor e apresentação, como foi o caso da tarte tatin que pedi num restaurante e me veio quente com uma bola de gelado em cama de amendoa ralada e natas, simplesmente delicioso.



Deixo a lista dos que me recomendaram:

Restauracja Polakowski na Rua Wszystkich Swietych 10 - Barato serve doses grandes e comida típica polaca

Restauracja Hawelka na Rynek Glowny praça Central Excelente comida e preços igualmente bons.

Gospoda koko Rua Golebia 8 para comer bons Pierogis

Bar Mleczny "Pod Temida" Rua Grodzka 43 no centro, é um bar típico que ficou do comunismo.

Nowa prowincja na Rua Bracka 3-5 para tomar vinho quente e chocolate quente.

Awiw Prazakova 512 na praça no Bairro Judeu Kazimierz

Artcafé Rua Dajwor 30 Kazimierz

Alchemia na Rua Estery -bar na Rua Estery - Kazimierz

Para além destes deixo alguns que descobrimos nós e que gostámos muito.
Art&amp Garden Residence um hotel mesmo em frente ao nosso que tinha um restaurante muito bom na Rua Krowoderska 71 (1km do centro)

Chlpskie Jadlo Rua Sw.  Agnieszki 1 rua perto da praça Central, decoração típica e empregados muito simpáticos, servem um prato tipo rodizio de comidas típicas Polacas deixo o link do trypadvisor.


Para quem não quiser comer em restaurantes ou perder tempo com isso, a oferta de pastelarias é enorme, bolos e salgados, pizzas à fatia tudo enorme mas também de excelente qualidade, a oferta é de facto grande.




Quando nós estivemos havia um mercado de páscoa na praça central, com barraquinhas onde faziam de tudo, desde os famosos Pierogis ás famosas salsichas muito habituais na parte leste da Europa, grelhadas, com pão ou batatas fritas, uma boa alternativa a comida de prato.



segunda-feira, 24 de julho de 2017

Arroz de polvo

Quem gosta de arroz de polvo?

Eu adoro, sou mesmo fã do género, arroz com molho/caldo, de polvo é um dos meus favoritos.

Receita, a do costume, nada de extraordinário, apenas o arroz é diferente, fiz com o Baby rice  Bom Sucesso, se é bom para bebés também é bom para nós concerteza, um arroz produzido sem químicos tal como a natureza o dá, isento de bactérias, próprio para a alimentação dos bebés e como cá em casa cada vez mais me preocupo com a qualidade dos alimentos que comemos, acho este arroz uma excelente opção.


  • 1 polvo fresco (congelado)
  • 2 cebolas
    1 folha de louro
    2 dentes de alho
    Azeite
    Tomate maduro
    Arroz Baby rice da marca bom sucesso 
    Sal
    Salsa picada

Normalmente compro o polvo fresco e depois congelo, cada vez mais evito comprar este tipo de moluscos congelados, porque têm montes de aditivos e são demasiado salgados. Congelo porque alguma vez li que ficam mais tenros e fáceis de cozer.

Então primeiro que tudo cozer o polvo congelado com uma das cebolas inteiras e a folha de louro e pouco sal, para se poder aproveitar o caldo. 

Deixe cozer, tapado, em lume brando até a cebola estar macia, ou então cozer na panela de pressão, mais rápido, mas atenção aos tempos para o polvo não se desfazer todo.
Retire o polvo, coe o caldo da cozedura e reserve.

Aloure a restante cebola e os dentes de alho, picados, no azeite bem quente.
Entretanto, limpe o tomate de grainhas e corte-o em cubinhos junte ao refogado e deixe cozinhar durante 2 a 3 minutos (eu trituro com a varinha ou no robot de cozinha se fizer aí o refogado).

Regue com a quantidade de caldo pretendida do caldo reservado e assim que retomar fervura introduza o arroz e rectifique o sal. Para que o arroz fique com caldo a água é o triplo do arroz.


Tape e deixe cozer durante cerca de 12 minutos.
Corte o polvo em troços e junte ao arroz assim que este estiver quase cozido.


Polvilhe com com salsa picada ou coentros, eu gosto mais com coentros.
Sirva sem demora.