sexta-feira, 25 de março de 2016

Picado de abelha

Este bolo é uma receita já antiga, semelhante a muitas de tarte de amêndoa que por aí se encontram, este é o nome que tenho no meu livro de receitas escritas á mão e é assim que é conhecida cá em casa.

Uma sugestão que combina na perfeição com a Páscoa, amêndoas, fios de ovos...


185 gr de açúcar
315 gr de farinha
125 gr de manteiga
4 colheres de sopa de leite
1/2 colher de chá de fermento
3 ovos

Creme
125 gr de amêndoa
125 gr de açúcar
125 gr de margarina
4 colheres de sopa de leite

Bate-se o açúcar com a manteiga derretida em banho Maria.
Juntam-se os ovos um a um, batendo sempre.
Junta-se o leite e por fim a farinha misturada com o fermento, batendo mais um pouco.

Para o creme cortam-se as amêndoas ás tirinhas e põem-se num tachinho com os outros ingredientes.
Vai ao lume e ferve durante 7 minutos.

Deita-se o creme em cima da massa da tarte que já deve estar na forma e só depois vai ao forno a cozer.

Numa forma de tarte de fundo fixo, untada com manteiga e farinha, ou numa de fundo móvel forrada com papel vegetal.
Em forno pré aquecido a 200º durante 30min ou até a amêndoa estar dourada e o bolo cozido.


Para uma ocasião mais festiva, decorado com fios de ovos fica lindo, estes são de compra, nunca me aventurei a fazer.

sábado, 19 de março de 2016

Batatas fritas

Batatas fritas?! e para isso é preciso receita ou modo de preparar?!

Pois não é...mas gostava de deixar a sugestão, para quem como eu não come fritos nem dá a comer á família, há algum tempo comprei uma daquelas máquinas de fritar só com uma colher de óleo e fiquei fã, porque para além de tudo nem sequer utilizo óleo, mas sim azeite.
A máquina funciona só com uma resistência e ar quente


Não comprei a máquina mais famosa do mercado, porque o meu interesse nesta máquina era mesmo só fritar batatas e as da máquina famosa, (para além de muito cara), parece-me que ficam com um ar um pouco feias, pelo menos as fotografias que eu vejo por aí nos blogs, porque me parece que essa tem uma pá tipo de amassar que roda e parte as batatas.

Por isso comprei uma da concorrência, (não divulgo marcas, porque ninguém me paga para fazer publicidade), mas estou a gostar bastante dela e as batatas fritas ficam tal e qual as que fritava de modo tradicional, ficam deliciosas, nem o mais expert provador de batatas fritas encontraria defeito ou diferença. Ainda que tudo depende também da qualidade das batatas.

Em cubinhos para fazer pratos tipo bacalhau com natas

Cá em casa muito raramente fazia batatas fritas, nem outro tipo de fritos, mas com crianças é um pouco difícil não as fazer, ainda que o meu filho seja do melhor que há para comer, gosta de tudo e não exige nada, come muito bem mesmo,(comida saudável entenda-se :) não quantidade :)  mas de vez em quando faço umas batatinhas fritas que ele adora e agora é sem complexos.