quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O primo do Coq au vin

Pois coq é concerteza e 100% livre de tóxicos, comprado a um quinteiro que garante só dar milhinho e couves á galinhada, se o milho é puro já não podemos garantir... au vin também foi concerteza absoluta, porque o dito cujo dormiu duas noites mergulhado nele.

A receita original do verdadeiro não encontrei nem nos belos livrinhos que enfeitam as minhas prateleiras, mas que na hora que preciso deles me falham quase sempre, nem no sitio do costume, onde encontrei algumas repetidas em vários sites e outras diferentes, mas com diferenças que me pareceram tão significativas, que duvidei da originalidade de todas e mais uma vez fiz como me apeteceu.

O galo caseiro era um bocadito grande e para três e ainda por cima para inventar, achei melhor experimentar só com metade, não fosse estragar a canjinha tão esperada do menino.

Metade de um galo, (mais ou menos 1kg)
750 ml de bom vinho tinto
1 cebola grande
1 cenoura grande
Meia dúzia de dentes de alho
2 ou 3 folhas de louro
Azeite e um pouco de manteiga
Sal q.b.

De véspera parti o galo em pedaços e meti-o dentro de uma caixa de vidro com tampa, com o sal, louro,os alhos picados e o vinho até tapar por completo o bicho.
No dia do cozinhado apareceram uns amigos para almoçar, deve ter-lhes cheirado a coq, mas como a metade afinal seria pouco, resolvi optar por outra coisa e o galo lá ficou no molho mais um dia.

Retirei o bicho da marinada e sequei com papel absorvente, para o meter a fritar um pouco no azeite misturado com a manteiga e com os alhos que também escorri da marinada.

Deixar fritar voltando para alourar bem de todos os lados, depois juntar aqui a cebola picada, a cenoura ás rodelas grossas e o resto da marinada.

Depois de começar a ferver é só baixar o lume e esquecer durante o tempo necessário para que a carne fique bem tenrinha, isto depende do tamanho e da idade do bicho, o meu ficou uma hora e meia.

Ao fim deste tempo o caldo que no inicio era muito ficou bastante reduzido e a cebola e a cenoura meia desfeita, achei que ficaria melhor desfeita inteira, pelo que retirei a carne do molho, escolhi o louro também e triturei o molho.


Depois foi servir com uma batatinha cozida e uma saladinha, uma experiência a repetir concerteza, porque ficou aprovadissimo.

domingo, 26 de setembro de 2010

Congro/Safio de cebolada com pimentos

Este é um peixe que cá em casa gostamos muito, feito desta maneira.

Antigamente comiamos muito, ultimamente até me tenho esquecido de comprar, é porque cá em casa há habitos que me vêm de casa da minha mãe e um deles é comer determinada comida ou fazer determinado doce até enjoar e não poder vêr mais e depois durante algum tempo cai no esquecimento, mas quando volta normalmete é recebido de cara alegre e com vontade de repetir.

3 postas de congro/safio da zona da barriga
1 cebola grande
1 pimento verde
1 pimento vermelho
2 tomates médios bem madurinhos
2 dentes de alho
1 copo de vinho branco
sal e azeite q.b.

Fazer o refogado da praxe com a cebola e o alho picadinhos em azeite.

Juntar os pimentos cortados em tirinhas pequenas e o tomate sem pele aos cubinhos.

Meter as postas do peixe, que deve ser da zona da barriga por ter muito menos espinhas do que as postas fechadas que sendo mais bonitas tem muitas espinhas.

Regar com o vinho e  temperos a gosto, cá em casa é mesmo só sal, porque não somos muito adeptos de picantes e companhia, mas os pimentos também já dão sabor q.b.

Deixar o peixe cozinhar em lume brando e já está, com uma batatinha cozida fica um mimo.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Bacalhau espiritual

Olha o meu blog fez ontem 3 anos, já nem me lembro das datas importantes, há tanto tempo que convivo com ele que já nem me lembro do dia em que resolvi meter-me nestas andanças de blogs :-) mas como este mês é um mês muito preenchido de datas acontece alguma ficar esquecida :-)

Assim para comemorar nada melhor que um bacalhauzinho.

Depois da festa de aniversário que fiz para as crianças nos anos do meu menino, ficaram os adultos para jantar, como estes não se contentam com pipocas e batatas fritas, fiz umas coisinhas mais consistentes e saborosas.

Depois de um pão de queijo e melão com presunto para entrada, fiz este bacalhau, que normalmente agrada aos crescidos e os pequenos também não se queixam.

Eu fiz a dose a triplicar, porque como se diz lá na minha terra o que cresce é o que abastecemais vale sobrar do que faltar.

300 gr de bacalhau
200 gr de cebolas
200 gr de cenoura
50 gr de miolo de pão
1 dl de leite
80 gr de margarina
Sal e pimenta q.b.

Passar pela máquina ou desfiar o bacalhau o mais fino possível, eu amassei com as mãos, depois de desfiar.

Pique finamente as cebolas e rale a cenoura e leve a estufar com a margarina, eu substitui por azeite.

Entretanto ponha o pão de molho no leite, eu usei papo-secos(carcaças) com a codea e tudo.

Junte este pão ao refogado anterior e misture bem.

Adicione o bacalhau, tempere com sal e pimenta e bata tudo muito bem até obter um preparado fofo e homogéneo.

Unte com margarina um tabuleiro de ir ao forno e á mesa e transfira para lá o preparado de bacalhau.

Entretanto faz-se o molho bechamel com
1 colher de sopa de margarina
1 colher de sopa de farinha
3,5 dl de leite
sal, pimenta, noz moscada e umas gotas de sumo de limão.
2 gemas

1 pacote de natas.
Queijo ralado a gosto.

Leve a margarina a derreter e polvilhe com a farinha, mexa e regue com o leite frio.
Deixe em lume brando até engrossar, mexendo sempre e tempere a gosto.

Fora do lume pode-se adicionar 2 gemas, eu não adiciono.

Deitar este molho sobre o bacalhau e envolver tudo muito bem.



Levar ao forno bem quente durante 10 minutos, se se fizer logo na altura, eu como o fiz com antecedência e congelei tive que deixar durante mais tempo, quando começar a borbulhar está no ponto.

Depois disto retirar do forno regar com natas ligeiramente batidas e polvilhar com queijo ralado, eu também não reguei com as natas, porque quando ia tirá-las do móvel, reparei que os 5 pacotes que comprei para a festa já tinham sumido!!! ficou muito bom na mesma e ainda mais saudável.

Fotografias do produto acabado não houve tempo para isso.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Semifrio de framboesa

Este semifrio retirei do blog da Claudia ainda que o dela seja de mirtilhos eu fiz de framboesa, mais fácil de encontrar por aqui, ainda que desta vez também não encontrei frescas e tive que usar das congeladas.

Tenho uma prima a quem já dei o link do blog dela  e já fez várias vezes e adorou, eu demorei tanto tempo a experimentar não porque não goste do aspecto mas porque só de olhar para a receita fico logo sem vontade, 500ml de natas e 250 de iogurte grego (bastante gordo) faziam-me fugir, mas quando se trata de dar a comer a muita gente a coisa dilui-se mais e lá resolvi fazer e também fiquei fã.


200gr de framboesas+uma chávena
500ml de natas
250gr de iogurte grego
100gr de açúcar em pó + 5 colheres 
2 gemas
2 colher de sopa de sumo de limão
4 colheres de sopa de água

Em primeiro lugar preparar uma calda de framboesa, para depois deixar a arrefecer enquanto se prepara o creme.

Levar ao lume 200gr de framboesas, com 4 colheres de sopa de água, 1 colher de sopa de sumo de limão e as 100 gr de açúcar.
Quando levantar fervura, baixar o lume e deixar ferver durante 5 min.

Depois coar a calda, por causa das sementes das framboesas, eu coei por um coador de rede , mas mexi muito bem com uma colher a polpa no coador, para aproveitar ao máximo, depois deixar repousar e arrefecer.

Entretanto prepara-se o creme.

Bater os 500 ml das natas em chantilly.
Numa taça grande juntar o iogurte grego com as 5 colheres de açúcar bater bem e juntar as gemas ligeiramente batidas, o sumo do limão e envolver bem com cuidado .

No fim juntar a calda das framboesas, bater muito bem e por ultimo envolver o chantily.

Forrar uma forma de bolo inglês com pelicula aderente e colocar uma camada de creme no fundo.
Por cima colocar suspiros partidos aos pedacinhos e framboesas inteiras, nova camada de creme e nova camada de suspiros e framboesas até terminar com creme.



Vai ao congelador de um dia para o outro ou até solidificar, retirar 15 min antes de servir

sábado, 18 de setembro de 2010

Bolo de Gomas

Ontem eu fiz anos, mas como os ânimos andam um pouco em baixo, não fiz nada para mim nem convidei ninguem para casa, resolvemos ir jantar fora os três e assim comemorar mais um anito, porque a vida é tão curta que temos mesmo que a celebrar.

Para o meu menino já não podia deixar passar a data em branco, porque há meio ano pelo menos que ele anda a imaginar como e onde será a festa, quem vai convidar e por aí...

Onde vai ser foi fácil de decidir, porque acho um abuso o que se paga nos sitios de festas infantis onde ele foi durante o ano, ele ainda pediu, mas também foi fácil de o convencer, até porque de insufláveis ele já tem que chegue para este ano, ficou com uma marca bem má.

Depois acho uma pobreza num sitio onde se paga uma fortuna estarem á porta a perguntar ao menino se vai querer um pãozinho com queijo ou fiambre!!! como num dos sitios onde ele foi.

Assim sendo e como tenho no meu prédio um espaço comum muito agradável, com uma sala e um pátio enorme, resolvi fazer a festinha em casa e a estrela da festa foi este bolo.


Já tinha visto estes bolos por aí nos blogs e na internet, achei uma ideia engraçada para uma festa de crianças, já que a pequenada são todos fanáticos por elas, resolvi dar-lhe uma forma mais engraçada do que mete-las em tacinhas.

Montei este bolo com umas placas tipo esferovite, mas mais grossas, forradas de papel de alumínio.


Depois foi só ensaiar como aplicar as gomas para obter um efeito agradável à vista, as que ficaram na posição vertical eu preguei-as com uns palitinhos partidos, porque não encontrei uns mais bonitos que já vi por aí, as que ficaram na horizontal ficaram mesmo soltas.

E foi uma guerra perdida tentar que não desmanchassem logo tudo antes de chegarem os meninos todos.


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nem as pedras escaparam !!!

E a estrada que parece levar-nos ao céu afinal faz-nos passar primeiro pelo inferno

Uma das zonas para mim mais bonitas de portugal está assim!!!!

e não são metros !!!! são kilómetros 
Sem mais comentários!!!!
  


  




sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Parabens ao meu principezinho

Parabens para o meu principezinho por mais um aninho.


Esta já dormiu á espreita na entrada do corredor á espera da manhã para começar a festa bem cedo.
-Pena que não a posso usar já, porque o médico do bracinho disse que não posso jogar futebol e nem andar de bicicleta já :-(.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Bavaroise de ananás

Este fim de semana fui a casa da minha mãe e como os animos por lá andam em baixo, resolvi fazer uma sobremesa para animar, mas quando fui á procura do que fazer, ou faltava um ingrediente ou faltava outro, assim resolvi com o que tinha e baseando-me numa e outra receita que costumo fazer, juntei tudo e saiu um belo docinho que agradou a todos menos ao meu boneco, como já é habitual, até se entusiasmou pela gelatina mas depois de comer duas ou três colherinhas já estava com a barriga muito muito cheia.....

5 ovos
1 gelatina de ananás
5 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de maisena
0,5 l de leite
1 lata de ananás

Primeiro separar as gemas das claras e bater as ultimas em castelo, reservar.

Bater ligeiramente as gemas com as colheres de açúcar e a colher de maizena.

Juntar o leite e levar ao lume esperto até começar a borbulhar, passar para o minimo para deixar engrossar lentamente mexendo sempre para não formar grumos.

Retirar do lume e deixar arrefecer um pouco e juntar o pacote da gelatina e mexer muito bem para encorporar.

Entretanto levar ao liquidificador a lata do ananás, reservando apenas uma rodela ou duas para decorar e triturar muito bem.

Juntar este polme ao creme anterior e por ultimo envolver as claras préviamente batidas em castelo.

Transferir para uma taça para levar ao frigorifico, para solidificar e só nessa altura se decora.


Fica um creme que não dá para desenformar, muito leve tipo espuma, com um pouco da gelatina que se separa no fundo, muito fresquinho para esta época.

domingo, 5 de setembro de 2010

Serão trangénicos?

Se são transgénicos é o mais provável, mas como são biológicos perdoamos o resto.


Estes tomatinhos têm feito as delicias do meu menino, para não falar de mim, que gosto de tomate de qualquer jeito.
O pequeno sempre que passa pelo frigorifico traz uma mão cheia deles e passa-os pela torneira e lá vai, de um a um come tudo, inteiros sem sal nem nada, eu como-os assim sem ser em salada, mas tenho que os partir e deitar-lhe um bocadinho de sal, ou então juntar algo com sabor forte.

Estas espetadinhas fiz com queijo feta, pensando que seria só para mim, já que dos homens um não aprecia os tomatitos e o outro o sabor forte do queijo, mas afinal todo mundo gostou e tive que repetir a dose.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Olha o belo figuinho

Se há fruta que eu adoro, uma delas são os figos, parece-me que seria capaz de comer um cabaz inteiro, de tanto que gosto deles.

Este ano posso dizer que já comi bem a minha parte, comecei bem cedo com os figos gigantes de pele arroxeada e agora continuo com os pingo de mel.

Os primeiros vieram lá da serra de um tio que tem Figueiras gigantes que produzem kilos e kilos, os ultimos tenho comido de uma figueira da comunidade que encontrei no outro dia quando passeava pelo meu bairro a pé e agora lá da minha quintinha, onde tenho uma figueirinha pequenina mas que este ano já vai dar bastantes.

Os da quinta estão tão docinhos, que até ficamos com as mãos todas meladas só de os apanhar e para vêr como estão docinhos, olha só quem anda a comer neles, e eu que pensava serem só os passarinhos!!!

E se não nos despachamos ficamos sem nada, porque os danados deixam só a casca pendurada na árvore
Assim como já matei o desejo de os comer ao natural, com pão, com queijo  e sei lá com mais quê....
já fiz três frasquinhos de doce

1kg de figos de pele arroxeada
500gr de açúcar amarelo
1 pau de canela
1 chávena de nozes picadas

Parti os figos de modo grosseiro e deixei parte da pele, retirei apenas o pé mais grosso, a ponta do outro lado e alguns pedaços já meio estragados.

Juntei o açúcar amarelo e o pau de canela.

Tudo ao lume a ferver em lume brando durante o tempo necessário para ganhar uma certa consistência que para mim está no ponto, quando eu levanto a colher de pau e deixo pingar até o ultimo pingo demorar a cair formando um pingo grosso que deixa um rasto não de fio mas mais grosso.

No fim junto as nozes picadas de modo grosseiro e envolvo tudo, as nozes podem ser mais, porque ficam deliciosas no meio do doce, eu meti uma chávena, porque tive preguiça de partir mais.


Em cima de umas rodelinhas de queijo chevre e uma fatia de broa de milho fica um verdadeiro manjar.

E o meu quinteirinho a espreitá-los por entre as folhas e a apanhar verdes e maduros também é do melhor que há