sábado, 28 de novembro de 2009

Bolachinhas de natal

Quando eu pensava que uma criança seria um belo pretexto para fazer mais e mais docinhos, enganei-me, o meu menino não liga nada a docinhos, nem sobremesas, nem bolos e nem bolachinhas, diverte-se muito a ajudar e a comer a massa crua, mas a obra feita é para esquecer...salvo rarissimas excepções.

Estas bolachinhas achei que seriam um sucesso, foram um fracasso, comeu algumas, penso que para me fazer a vontade.


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Rolo de carne picada recheado

Este rolo comprei-o já feito no sitio do costume, nunca tinha experimentado, mas como agora tenho que encontrar soluções variadas e rápidas, resolvi aderir, uma solução que não conseguiu agradar a gregos e troianos, ou seja os mais e os menos adeptos de carne picada


1 rolo de carne recheado com fiambre e queijo que também vem já temperado, coisa que eu não sabia, por isso temperei de novo, com sal, alho picado, uma folhinha de louro e azeite.


Foi o lombinho para o forno bem acompanhado pelas belas batatinhas e cenourinha e regado com azeite e vinho.

Um fenómeno engraçado não esperado, mas que resultou delicioso, foi o queijo que foi derretendo e saindo pelos poros, para o molho e para tostar á superficie da carne.
Acompanhado por uma saladinha

domingo, 22 de novembro de 2009

Pescada gratinada

Nunca tinha comprado estes miminhos, mas ficaram aprovados, pelos grandes e pelo pequeno que por acaso não precisa deste tipo de peixe mais refinado para comer, gosta bastante de peixinho.


1 embalagem de mimos de pescada
1 colher de sopa de sopa de marisco
1 pacote de natas
100ml de leite
Queijo ralado
Puré q.b.
Sal e limão q.b.

Temperei os miminhos com sal e limão meia hora antes de os cozinhar.

Depois coloquei-os num tabuleiro de ir ao forno e em volta enchi com puré, que já tinha feito.

Por cima cobri tudo com um molho que fiz com o pacote das natas, e uma colher de sopa de marisco bem cheia que dissolvi previamente em leite, tudo bem misturado.

Polvilhei com queijo ralado e foi ao forno.

Para acompanhar umas couvinhas de bruxelas só cozidas

domingo, 15 de novembro de 2009

Frango de fricassé

Este frango tão famoso, nunca tinha entrado na minha casa, mas resolvi experimentar para o dia bege, achei que era uma cor indicada para um franguinho depelado.




Procurei a receitinha e onde a encontrei mais ao meu gosto foi no site da manteiga mais famosa cá em terras lusas, mas por ironia, esta foi substituida pelo azeite, tempero mais famoso em terras do mediterrâneo e por isso muito mais importante




1 frango
1 cebola
50 g de margarina vaqueiro
sal
pimenta
1 dl de vinho branco
1 dl de água
1 cubo de caldo de galinha
1 colher de sopa de farinha
2 gemas
½ limão
2 colheres de sopa de salsa picada (não usei porque não tinha em casa)




preparação
Tire a pele ao frango e corte-o em bocados pequenos.

Descasque e pique a cebola muito finamente e leve a alourar com a margarina Vaqueiro.

Junte o frango em bocados e deixe alourar bem de todos os lados.

Regue com o vinho branco e a água e adicione o cubo de caldo de galinha.

Tape e deixe cozer sobre lume brando até o frango estar macio.

Nessa altura retire os bocados de frango para um recipiente do serviço e mantenha quente. Dissolva a farinha com o um pouco do molho e depois junte-a ao restante molho.

Deixe engrossar um pouco, mexendo.

Desfaça as gemas com o sumo de limão e junte-as também ao molho, mexendo sempre para não talharem.

Polvilhe com a salsa picada e deite sobre o frango.




Sirva bem quente acompanhado com puré de batata ou arroz branco.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Bem ao sul

Primeiro dia de trabalho depois da licença de maternidade, como passa depressa o tempo, parece que foi ainda ontem que iniciou e já terminou...


Nada como recordar os bons dias de verão e as primeiras férias com o menino, por terras algarvias.


Um pouco das praias algarvias da zona do barlavento.
Praias rochosas, de grandes falésias amarelas.
As minhas favoritas na costa algarvia,
Mas reconheço que as escadas para chegar a algumas não são fáceis em horas de calor
O ceú sempre azulão tão caracteristico
e a areia bem douradinha
Prainhas bem pequeninas

a piscina do hotel para belos mergulhos
e brincadeiras

a vista do quarto
e brincando
-Pareço o que mãe???

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Tarte de coco

A receita vem nos livros da manteiga mais famosa cá do burgo, que diga-se tem umas receitinhas muito boas, sempre gostei muito dos livros e revistas desta manteiga, as receitas são normalmente facilmente exequíveis e saem sempre bem.

Durante muito tempo, comprava as revistas da mesma, porque trazia sempre coisas que experimentava, agora deixei de comprar, com os sites desta e outros á distancia de um clik, não vale a pena comprar, principalmente pelo espaço que ocupam e pela dificuldade de consulta, nunca sabemos em que revista saiu isto ou aquilo, de que gostamos quando a comprámos!!! por isso cansei de comprar revistas!! e quando preciso algo, consulto aqui e acoli, comodamente nos meios ao meu alcance, muito mais eficiente na procura.



200 g de farinha
75 g de açúcar
100 g de margarina
Vaqueiro 1 ovo
Para o recheio:
400 g de açúcar, (meti só 300gr)
1 dl de água
1 limão
125 g de coco
4 ovos

Misture a farinha com o açúcar, junte a margarina Vaqueiro em bocadinhos e trabalhe em areia com a ponta dos dedos.

Junte o ovo e amasse até ligar todos os ingredientes.



Forre o fundo e os lados de uma forma de tarte com a massa e deixe repousar enquanto prepara o recheio.



Leve ao lume o açúcar com a água, o sumo e a raspa da casca do limão. Eu reduzi o açúcar, porque a primeira vez que fiz ficou doce demais e assim sabe mais ao limão.

Deixe ferver durante 5 minutos.
Numa tigela, deite o coco e os ovos e misture bem.

Adicione a calda de açúcar em fio, sem parar de mexer.

Deite o creme na tarte e leve a cozer em forno médio (180º C) durante cerca de 45 minutos, eu deixei só 35, fica mais cremosa, tipo quindim.

Desenforme depois de fria.