domingo, 20 de abril de 2008

Pão de ló (tipo alfeizerão)

Se há bolos simples e deliciosos este é um deles, um verdadeiro manjar dos deuses, bom para quem gosta de um simples pão de ló e bom para quem gosta de algo mais sofisticado, muito simples, o unico segredo é mesmo o tempo de cozedura.

2 ovos
100 gr de açúcar
6 gemas
50 gr de farinha


Bata os ovos inteiros com o açúcar e quando a mistura começar a ficar esbranquiçada, junte, pouco a pouco, as gemas previamente batidas ao de leve. eu juntei as gemas uma a uma

Bata esta mistura durante mais 20 minutos, no total bati durante pouco mais de dez minutos, com máquina

Junte depois a farinha peneirada, sem bater, apenas envolvendo.

Deite a massa numa forma de folha ou de barro forrada com papel vegetal untado com manteiga.

Tape a forma com uma folha do mesmo papel e leve a cozer em forno préaquecido a 225ºC durante 10 minutos.


Retire e desenforme, eu usei uma forma de mola para não ter que virar o bolo, porque se ele fica com creme em cima não se pode virar

10 minutos é para ficar mesmo com creme em cima, desta vez não ficou com muito, porque depois de desligar o forno demorei um minutito a retitirá-lo, ou porque não lhe meti o papel a tapar!!!!!!

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Olhares

No fim de semana passado fui até á quintinha biológica do meu maridito, de máquina fotográfica em punho para lhe dar apoio moral enquanto ele trata da produção.


Então andei por lá para ver o estado da produção e encontrei lá estes pessegos, ainda pequeninos, mas que prometem um grande sabor, se os conseguirmos comer antes dos bichos, que normalmente são mais gulosos do que nós!!!!!!!!


As couves estão bonitas, grandes e viçosas......
...mas lá andam os caracois a espreitar

Os limões amarelinhos, durante o ano inteiro...

e os arrogantes dos galos e galinhas dos vizinhos, que nem sonham que de vez em quando lá vêm parar á nossa panela heheheh!!!!!!!!!!

Bolo na caneca

Este bolo vi hoje neste blog e achei uma ideia estranha, mas as fotografias pareceram-me apelativas.



Então pensei........ três minutos??!! é pra já..............e fui meter mão á obra, porque para além de estar sozinha apetecia-me algo......................
...................E a primeira impressão foi esta..................................



Mas eu tinha feito exactamente como diz a zefinha

Coloquei 1 ovo pequeno, na caneca que vai ao microondas com 4 colheres de sopa de leite, 3 colheres de sopa de óleo, 4 colheres de sopa rasas de açúcar e bate-se tudo rapidamente com um garfo e depois junta-se 2 colheres de sopa rasas de chocolate em pó e 4 colheres de sopa rasas de farinha de trigo, 1 colher de café de fermento em pó e envolve-se tudo muito bem.



Depois é só levar por 3 minutos ao microondas na potência máxima.




Dicas da zefinha - A caneca deve ter capacidade de 300ml.

A medida de colher (de sopa) é sempre rasa, porque se não, o bolo vai ficar duro!



Para uma próxima vez se voltar a fazer vou utilizar uma caneca untada, para se desenformar melhor, porque assim ficou um bocadinho agarrado ás paredes da caneca, embora tenha desenformado bem na mesma, o aspecto é que ficou assim com olhinhos
Mas o resultado foi um bolinho muito fofinho e saboroso

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Bacalhau com broa e espinafres em rolo

Há montes de receitas de bacalhau com broa, esta é mais uma diferente, e ainda por cima não fiz desta vez como de costume.


2 Postas de bacalhau
2 cebolas médias
3 Dentes de alho
1 emb. De espinafres congelados
¼ de uma broa média
azeite q.b.
Batatinhas

Preparação:

Coza o bacalhau e desfaça-o em lascas.
Doure o alho e a cebola no azeite, junte aí o bacalhau e tempere a gosto

Cozer os espinafres em água temperada com sal, escorre-los muito bem e colocá-los numa taça.

Ralar á mão a broa , transferir para a taça dos espinafres e juntar azeite a gosto amassando tudo.

Dispor no centro de um tabuleiro de ir ao forno o bacalhau em forma de rolo, em cima colocar os espinafres de modo a cobrir tudo e a ficar com mais ou menos 1 dedo e meio de altura.
















Regar tudo com azeite
Levar ao forno a tostar um bocadinho a broa.

A diferença que introduzi, foi utilizar grelos em vez dos espinafres, porque tinha muitos em casa, e no refogado de bacalhau juntei uma cenourinha partida aos cubinhos, o resultado em sabor não ficou mal, o aspecto é que não ficou tão bonito

Acompanhar com batatinhas pequeninas assadas com casca ou sem casca

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Doce de pão e laranja

Este doce é uma especialidade do meu amigo alentejano, entre a tarte e o pudim nem sei bem como lhe chamar, é feito em forma de tarte, desenforma-se, mas fica com uma consistência húmida tipo pudim, só um pouco mais seco do que o pudim.

A canela e a laranja conferem-lhe um aroma muito especial, muito bom para uma mesa de natal.



domingo, 13 de abril de 2008

Feijoada de lulas

E porque não!!!!
Se há feijoada de marisco, chocos e afins porque não de lulas.


Queria fazer feijoada e não tinha cá ingredientes ditos próprios então com a fobia natural pela carne cá em casa, fui procurar e encontrei uns tubos de lula congelados daqueles grandes e achei boa ideia.


O modo e a técnica...........a mesma para qualquer feijoada.


Refogado, cebola, alho, cenoura, louro, com couve ou sem, com chouriço ou sem........


Tudo apuradinho e feijão branco que neste caso foi mesmo de lata.


O sabor resultou um bocadito exótico.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

A vida


A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina.
Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.
Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando.
E termina tudo com um ótimo orgasmo!
Não seria perfeito?

Charles Chaplin

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Papas de carolo



Estas papas de carolo são uma sobremesa tipica da covilhã e zona da beira baixa, embora haja outras zonas onde se fazem papas parecidas.


Antigamente eram feitas a partir de milho moido grosseiramente de proposito para isso, agora como já não há moinhos, vivemos na cidade e compramos tudo nos sitios do costume, temos que nos sujeitar ao que há e ainda bem que há uma coisa que se chama Semola de milho e podemos fazer umas imitações destes doces tradicionais.


Não sei se há outras maneiras de fazer, mas na minha casa sempre vi fazer assim e eu faço como a minha mãe:

1 litro de leite
Um terço do pacote de 500gr
3 colheres de sopa de açúcar


Coloco o leite ao lume até ferver com uma pitada de sal, e quando este começa a ferver junto a semola que primeiro passei por água e escorri bem, como se fazia com o carolo antigo que era preciso lavar, porque tinha muitos residuos.

Depois é só deixar ferver em lume brando mexendo sempre até cozer a farinha e engrossar.
No fim junta-se o açúcar a gosto eu juntei três colheres de sopa bem cheias, e assim não fica muito doce.
Depois de frio polvilha-se com canela.
A quantidade de farinha e de leite pode variar consoante o gosto, é mais ou menos como o arroz doce mais ou menos cremoso.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Arroz com soja e não só

Este arroz foi feito a partir de uma febra que tinha no frigorifico e que tinha sido arranjada de cebolada, e como só sobrou uma não dava para nada, mas como a consciencia critica cá em casa recomenda comer pouca carne e não desperdiçar, pensei acrescentar um bocadito de soja e fazer arroz.

Coloquei a soja de molho o tempo recomendado mais ou menos uma hora.


Parti a carne aos bocadinhos, deitei no tacho junto com o molho que tinha e juntei a soja e um bom bocadito de legumes daqueles que há no lidl, précozinhados e regionais, estes eram chineses.
Estes legumes chineses tem a particularidade de conter rebentos de soja e bambu, o que combina bem com a soja seca


Deixei apurar um bocadinho e juntei mais um bocadito de água e tempero e depois fiz como se fosse um arroz normal, de maneira a não ficar seco mas também sem molho

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Sevilhanas

Estes bolinhos são uma verdadeira tentação, deliciosos, crocantes, próprios para acompanhar um cházinho.

Vou aqui colocar a receita tal qual me deram, embora eu não faça exactamente, deixo de lado os preciosismos das gramitas, até porque balança de precisão só mesmo no local de trabalho e não dá para fazer bolos.

105 gr de margarina
185 gr de açúcar
2 ovos inteiros
375 gr de farinha com fermento
75 gr de nozes picadas
75 gr de corintos



Junta-se a margarina com o açúcar, seguidamente os ovos e no fim a farinha.

Ligar a massa muito bem e só depois se juntam as nozes e as passas.

Eu amasso tudo com as mãos

Formar bolas pequenas que se pincelam com gema de ovo.

Colocar num tabuleiro e levar a cozer em forno médio.