quinta-feira, 20 de julho de 2017

Vale do Rossim

Quem conhece?


Em época de férias, quem não gosta de ir a banhos, quando o mar está longe, uma praia fluvial, sabe sempre bem, neste caso a mais alta de portugal, a uma altitude de 1400m aproximadamente, água límpida e bem fresquinha, porque lá pela serra o sol é abrasador.




Esta lagoa fica bem no coração da serra da estrela, nas Penhas Douradas, perto da nascente do rio Mondego, do vale Glaciar e da vila de de manteigas.
Para lá chegar, subindo pela encosta de manteigas há indicação na estrada nacional e depois de sair desta, temos que percorrer umas estradas secundárias em mau estado, mas vale bem a pena para admirar a paisagem e para os mais corajosos e são muitos a mergulhar ou praticar desportos náuticos, canoas, gaivotas e barcos, há muitas opções.


Esta lagoa/praia fluvial é das mais procuradas e frequentadas da zona, nos fins de semana pelas pessoas da região e não só.
Tem um bar de apoio, onde se podem comer uns petiscos típicos da região.

 Ah se eu soubesse trazia a minha :)

Belos mergulhos se davam daqui :)

Para pernoitar lá existe o Vale do Rossim Eco Resort, um parque de campismo que tem a particularidade de ter em vez dos tradicionais bungalows uns Yurts tendas típicas da Mongólia, preparadas para resistir a temperaturas muito baixas e nesta zona faz sentido, porque é a zona mais fria da serra, mas onde se pode fazer o campismo tradicional.

Viemos de passagem mas eu tinha que experimentar a águinha, só para me certificar que é mesmo fresca :)

Para além do parque de campismo, na zona existe uma grande oferta hoteleira, sejam casas de turismo rural, seja outro tipo de hotéis, destaque para a Casa das Penhas Douradas Design Hotel & SPA  ou as Casas da fonte em Seia.


sexta-feira, 23 de junho de 2017

Bolo de iogurte grego e laranja

Quando alguém me dizia que o bolo de iogurte é o preferido lá de casa, até achava estranho parecia-me quase impossível, nunca fui muito apreciadora deste bolo, sempre achei que me sabia ao óleo, pode ser sugestão, mas não gosto de por óleo nos bolos.

Desde que experimentei fazer com iogurte grego e sem óleo, consigo entender :) não é a mesma coisa eu sei, mas que é muito melhor é, sem comparação possível, até porque o sabor em nada é parecido, este fica mais tipo bolo de natas, fofinho e com um toque aveludado, simplesmente delicioso.
Normalmente costumo substituir o óleo por leite, neste caso substitui por sumo de laranja já que tenho tido montes de laranjas biológicas e deliciosas.



1 iogurte grego natural
4 ovos
1 copo e 1/3 de açúcar
2 copos de farinha
1 copo de sumo de laranja
1 colher de chá de fermento


Bater os ovos inteiros (ou separados) com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado. 

Juntar o iogurte e o sumo de laranja e bater mais um pouco.

Por ultimo envolver a farinha e o fermento.

No robot de cozinha bater as claras em castelo com a borboleta 4 min vel5 e reservar, meter as gemas no copo, junto com o açúcar e programar na vel 5 e juntar o iogurte, o sumo de laranja e por ultimo a farinha misturada com o fermento e deixar só mais uns segundos para envolver tudo. retirar e envolver as claras.


Levar ao forno a 200º a cozer em forma untada e polvilhada com farinha. verificar com o palito e está pronto, simples, rápido e muito bom.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Panquecas ou waffles eis a questão

A receita é de panquecas, mas como ultimamente tenho feito muitas waffles e é muito mais prático e rápido do que na frigideira, resolvi fazer a vontade à preguiça e fiz as panquecas na máquina.

Experimentei uma e como resultou bem fiz todas :)




1 chávena de farinha
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 ovo
1/2 chávena de leite
1 iogurte grego de frutos do bosque.

Para bater os ingredientes à mão  juntar os sólidos numa taça e misturar, juntar os líquidos e bater bem com uma vara de arames.
No robot de cozinha meter tudo no copo e programar 15 seg. vel. 6.
Pré aquecer uma frigideira e untar com um pouco de óleo ou então como eu fiz aqui, untar a máquina de waffles e deitar colheradas de massa na máquina, fechar, uns segundos e já está rápido e eficiente.

Resultou muito bem. Até para brincar :)

isto parece o quê mãe :)

domingo, 11 de junho de 2017

Arroz doce que veio de longe

A receita deste arroz doce é que veio de longe, o arroz foi feito aqui na minha cozinha :) com o tal arroz do gostinho especial e neste caso como a receita também era especial, usei o Baby Rice Bom Sucesso  e fiz para o dia da Mãe.


A Internet  e as redes sociais têm destas coisas, diz-se que afastam os que estão perto, mas aproximam os que estão longe, neste caso aplica-se mesmo.

Tenho família no Brasil, que quase nem conhecia, tinha visto a tia e as primas 1 ou 2 vezes na vida e pouco conversámos, através das redes sociais, começámos "encontrar-nos" mais e a partilhar um pouco das nossas vidas distantes :) e como elas são boas cozinheiras e excelentes doceiras, de vez em quando mostram um pouco do que fazem e esta receita de arroz doce abriu-me o apetite, um arroz doce bem Brasileiro e como tudo que é doce brasileiro é um pecado, eu tinha que pecar e fazer este.

E para quem como eu gosta muito de arroz doce, este é mesmo um verdadeiro manjar dos deuses, super cremoso e saboroso.



A receita veio por mensagem e cá está o resultado.


1 chávena de arroz (lavado)usei Baby Rice
3 chávenas de água
1 lata de leite condensado
1 embalagem de natas
500ml de leite
250 ml de leite de coco
150 gr de flocos de coco
10 colheres de sopa de açúcar
Canela em pau e em pó


Colocar o arroz a cozer na água até esta secar, sem deixar o arroz pegar ao fundo.

Misture os leites, o condensado, o de coco e o normal com o açúcar, e junte esta mistura ao arroz logo que comece a secar a água.
Deixe cozinhar até obter uma consistência mais firme.

Desligue o fogão e adicione as natas e os flocos de coco, misture muito bem e leve ao frigorífico, na hora de servir decore com canela em pó.
A canela em pau põe-se junto com o arroz a cozer. 
Cá em casa e penso que em portugal no geral o arroz doce come-se frio mas não de frigorífico, eu até gosto mesmo quente ou morno.


P.S. nas notas da receita a minha prima diz que mete também um pauzinho de cravinho, mas isso eu não experimentei, cravinho cá em casa só costumo por em salgados, achei aventura demais :)
O açúcar para o meu gosto, na próxima corto para metade, ficou doce demais.

Obrigada Ivone pela receitinha :)
Quem me quiser seguir no facebook fique à vontade :)